INCLUSÕES FLUIDAS EM GRANULITOS E CAMINHOS P-T-t RETROMETAMÓRFICOS PARA O COMPLEXO JUIZ DE FORA

JOSÉ RENATO NOGUEIRA, ASIT CHOUDHURI, ROSA MARIA DA SILVEIRA BELLO

Resumo


A análise de inclusões fluidas em rochas granulíticas é apresentada como uma importante fonte geradora de dados petrogenéticos relevantes no estudo da evolução metamórfica de uma porção do Domínio Tectônico Juiz de Fora (DTJF) na Faixa Ribeira, na região a sudoeste de Juiz de Fora (MG). A área estudada é caracterizada por uma intensa intercalação entre unidades de embasamento, constituídas por hornblenda ortognaisses e ortogranulitos do Complexo Juiz de Fora, e unidades metassedimentares essencialmente compostas de granada-biotita gnaisses, correlacionáveis ao Grupo Andrelândia. As inclusões estudadas são típicas de fácies granulito, possuindo de 81 a 93 % de CO2, com densidades moderadas, variando entre 0,79 e 0,94 g/cm3, para as rochas do embasamento; e 92 a 100% de CO2, e densidades moderadas a altas, oscilando entre 0,916 e 1,068 g/cm3 para a porção metassedimentar do DTJF. Os fluidos associados às rochas do embasamento revelam que as últimas inclusões formadas (em trilhas) apresentam sistematicamente densidades maiores do que as primeiras inclusões a serem aprisionadas (isoladas), sinalizando para um caminho retrometamórfico com resfriamento aproximadamente isobárico, durante o Evento Transamazônico. O provável caminho P-T-t sofrido pelas rochas supracrustais do Grupo Andrelândia, definido com base no padrão de diminuição progressiva das densidades das inclusões (indo desde as amostras associadas à fase D2 até a fase D4), aponta para uma diminuição de pressão mais significativa do que a diminuição de temperatura após o pico metamórfico, configurando uma situação de descompressão aproximadamente isotérmica, com um caminho P-T-t horário para o Evento Brasiliano. Os dados existentes para os domínios estruturais onde predominam rochas do embasamento, indicam que o metamorfismo de fácies granulito pode estar relacionado a um evento tectônico extensional Transamazônico, com a formação de intra e underplating magmático, provendo fluidos ricos em CO2 oriundos das rochas máficas e excesso de calor necessário ao metamorfismo granulítico mais antigo (4-6kb/800-850°C) . Durante o Evento Brasiliano, o evento colisional que gerou a Faixa Ribeira causou intensos processos anatéticos que possivelmente retiraram grandes quantidades de H2O sistema, fazendo com que os metassedimentos atingissem a fácies granulito, resultando no metamorfismo granulítico Brasiliano, com temperaturas máximas de 800°C e pressões entre 6 e 7 kb.


Palavras-chave


Granulito; Fluidos; Caminhos P-T; Complexo Juiz de Fora.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.