LITOGEOQUÍMICA DO BATÓLITO ENDERBÍTICO-CHARNOCKÍTICO DO COMPLEXO JEQUIÉ, NA REGIÃO DE LAJE E MUTUÍPE, BAHIA

ANDRÉ FORNARI, JOHILDO S.F. BARBOSA

Resumo


As rochas granulíticas, da região de Laje e Mutuípe, fazem parte de um batólito enderbítico- charnockítico, que constitui o segmento mais importante do Complexo Jequié, situado no sudeste da Bahia. Este corpo plutônico é considerado intrusivo em rochas metamórficas de alto grau, consistindo de granulitos bandados, ácidos e básicos, provavelmente ortoderivados, aos quais encontram-se intercalados tectonicamente com kinzigitos, formações ferríferas, grafititos, quartzitos granatíferos, além de migmatitos granulíticos. Essas rochas plutônicas, na região em foco, sofreram pelo menos dois episódios deformacionais no estado dúctil: o primeiro (Dl), cisalhante e tangencial, gerou dobras deitadas com vergência para NW; o segundo (D2), também cisalhante mas transcorrente, desenvolveu nas rochas foliações/bandamentos subverticais de direção predominante NNW-SSE. Os enderbitos, charno-enderbitos e charnockitos representam duas séries cálcio- alcalinas. A primeira caracteriza-se por possuir baixos teores de Ti, Fe, K, P, Rb, Zr, Ba, Y e ETR. A segunda é mais madura quimicamente e intrusiva na primeira. A idade de cristalização dessas rochas plutônicas, obtidas por meio de medidas U/Pb, em zircões, pela "SHRIMP" (Sensitive High Resolution lonic Microprobe), situa-se entre 2.700 e 2.800 Ma, sendo assim consideradas do Arqueano.

Palavras-chave


Rochas enderbíticas-charnockíticas; Arqueano; Metamorfismo granulítico; Séries cálcio- alcalinas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.