Influência de estruturas brasilianas na sismicidade desencadeada por reservatório na Usina Hidrelétrica de Irapé, Minas Gerais, Brasil

Guilherme Ferreira da Silva, José Oswaldo de Araújo Filho, Mônica Giannoccaro Von Huelsen, Cristiano Naibert Chimpliganond, George Sand França

Resumo


Inaugurada em 2006, a Usina Hidrelétrica de Irapé possui a mais alta barragem do país, com 210 m, que vem sendo monitorada pelo Observatório Sismológico da Universidade de Brasília desde o começo do enchimento de seu reservatório. Apresentando sismicidade causada pelo aumento da tensão crustal logo após o início do represamento, a Sismicidade Desencadeada por Reservatório da Usina Hidrelétrica de Irapé permanece como um importante objeto de estudo para o entendimento deste fenômeno. O presente trabalho se propôs a estudar a sismicidade registrada de janeiro a maio de 2006, assim como a caracterizar a geologia ao redor da Usina Hidrelétrica de Irapé com o intuito de identificar e descrever as estruturas que permitam melhor compreender os eventos sísmicos. A orientação espacial dos eventos sísmicos obtidos pela análise das polaridades e da forma de onda condiz com aquelas dos lineamentos de relevo. As estruturas encontradas podem ser associadas a uma maior, de direção principal NE/SW, com dezenas de quilômetros, que seria responsável pela captura dos rios Jequitinhonha e Araçuaí, interpretada neste trabalho como uma estrutura relacionada a uma fase tardia do Evento Brasiliano. O diagrama de solução do mecanismo focal gerado utilizando um método de inversão da forma de onda no domínio do tempo indica que a direção dos possíveis planos de falhas está correlacionada ao principal direcionamento das estruturas rúpteis na área de trabalho.

Palavras-chave


Reativação sísmica de estruturas geológicas; Estudos de sismicidade desencadeada por reservatório; Usina Hidrelétrica de Irapé.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z2317-4889201400030004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank