O que há de geológico nos atrativos turísticos convencionais no Brasil

Virginio Mantesso-Neto, Kátia Leite Mansur, Úrsula Ruchkys, Marcos Antonio Leite do Nascimento

Resumo


O Brasil se caracteriza por uma oferta variada em termos de atrações turísticas ligadas a segmentos diversos. Buscando sistematizar a oferta com a criação de roteiros segmentados o Ministério do Turismo lança desde 2004 revistas especializadas. Em 2010 foi lançada a revista intitulada "Roteiros do Brasil: 94 Belos Motivos para viajar pelo Brasil". Este artigo apresenta uma análise desta publicação buscando identificar quais atrativos turísticos têm relação direta e indireta com o patrimônio geológico. Para fazer essa análise, foram definidas as características que levam uma atração turística convencional ser classificada como relacionada a feições geológicas, e em que grau. Mesmo reconhecendo tratar-se de um método empírico, e a conveniência de fazer pesquisas mais rigorosas, em primeira aproximação constata-se que, embora o geoturismo ainda não esteja oficializado como segmento turístico pelo Ministério do Turismo, mais de 70% dos atrativos turísticos brasileiros selecionados pela revista podem ser considerados como tendo apelo geológico. Pela experiência já acumulada, é sabido que as atrações turísticas brasileiras podem ser ainda mais valorizadas e atraírem um público maior por meio do uso das ferramentas do geoturismo, que trata de explicar, em linguagem adequada a um público leigo, e utilizando meios como folders, placas, painéis e cartilhas, a história geológica e o significado das feições geológicas de cada atrativo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2012_1_49_57

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank