Análise de correspondências de litogeoquímica de vulcanismos cenozoicos na porção setentrional da Província Borborema, Brasil

Luiza Silva Werneck, Christiano Magini, Ana Rita Gonçalves Neves Lopes Salgueiro

Resumo


A correlação litogeoquímica entre amostras é geralmente realizada por meio de gráficos predefinidos na literatura ou de análises bivariadas entre cada um dos elementos analisados. Aplicar uma análise multivariada nos dados geoquímicos de um conjunto de amostras, que são multivariadas por natureza, permite tratar esses dados em um espaço dimensional reduzido, compreendendo assim os processos de comportamento dos indivíduos. A análise fatorial das correspondências (AFC) propicia ainda comparar indivíduos (linhas) e variáveis (colunas) quantitativas ou qualitativas de um conjunto de dados no mesmo espaço e de forma simétrica. Neste trabalho, a AFC de um conjunto de análises geoquímicas de amostras de rochas vulcânicas de idades cenozoicas da porção setentrional da Província Borborema relacionou a nova ocorrência vulcânica da cidade de Fortaleza ao vulcanismo alcalino de Fernando de Noronha (FN), distinguindo-os do vulcanismo Macau principalmente devido ao empobrecimento relativo em elementos terras raras (ETR). O método permitiu também distinguir similaridades geoquímicas entre Fortaleza e FN, tais como valores maiores de Na2O, K2O, Al2O3, TiO2, P2O5 e CaO2 e menores de SiO2 e MgO relativamente às rochas do vulcanismo Macau. Os elementos traço Rb, Nb, Th e Ga se correlacionam e aumentam ou diminuem juntos para cada um dos vulcanismos, enquanto Sr e Ba comportam-se inversamente ao conjunto Cr e Ni.


Palavras-chave


Vulcanismo alcalino; Geomatemática; Análise multivariada.

Texto completo:

PDF Doc. Suplementar


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v18-125491

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank