RELAÇÕES HIDROLÓGICAS ENTRE A PLUVIOSIDADE E A VAZÃO EM UMA SÉRIE TEMPORAL (2007-2009) DE UMA BACIA DE DRENAGEM DE USO MISTO - TERESÓPOLIS, RJ, BRASIL

Carla Semiramis SILVEIRA, Keila Valente de SOUZA

Resumo


A bacia do rio Paquequer (269 km²), município de Teresópolis, região serrana do Estado do Rio de Janeiro é ocupada por floresta, vegetação em diferentes estágios de sucessão vegetal e uma expressiva área urbana ao longo do vale principal do rio. Objetivou-se caracterizar hidrologicamente a bacia com base em uma série temporal de chuva e vazão. Na área ocorrem granitos e gnaisses com latossolos e cambissolos. Dados de precipitação e de vazão foram coletados entre junho/2007 e maio/2009. A cabeceira é mais chuvosa (2800 mm/ano) que a foz da bacia (1400 mm/ano), com o mesmo padrão sazonal de chuvas. Chuvas acima de 10 mm na cabeceira, são suficientes para gerar hidrógrafa (lagtime de até 24 horas) na foz, distante 38 km. Uma precipitação extrema (20 mm/h) ocasiona um aumento de até 9,5 vezes da vazão, o fluxo máximo é influenciado pela condição antecedente e o lagtime é de 6-20 horas. Fluxos rápidos têm grande importância na vazão do rio, principalmente no verão, mascarando a contribuição dos fluxos subsuperficial e subterrâneo. A área urbana, as grandes declividades, solos rasos e muitos afloramentos rochosos explicam este comportamento hidrológico. O conhecimento gerado pode subsidiar um sistema de alerta para as frequentes enchentes no núcleo urbano de Teresópolis.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank