ASSINATURAS TAFONÔMICAS DE UM RECIFE ALGÁLICO DE ALTA ENERGIA E BAIXA TURBIDEZ: EXEMPLO DO ÚNICO ATOL DO ATLÂNTICO SUL

Marcelo de Oliveira SOARES, Marcela Marques VIEIRA, Narendra Kumar SRIVASTAVA, Maria Marlúcia Freitas SANTIAGO, Valesca Brasil LEMOS

Resumo


Os estudos tafonômicos recifais estão concentrados em modelos elaborados para recifes de corais do Cenozóico. Visando elaborar um conjunto de assinaturas tafonômicas aplicáveis a um recife algálico, analisaram-se amostras recifais do Atol das Rocas (Atlântico Sul Equatorial, Brasil). As fácies carbonáticas (Framestone I e II) demostraram pequena variabilidade permitindo a formação de um critério tafonômico indicativo de recifes algálicos com insignificante influência de materiais terrígenos, com baixa turbidez e de alta energia. As algas calcáreas representam a tafocenose bioconstrutora dominante. Encontraram-se grossas e amplamente distribuídas encrustações calcárias de algas coralinas, gastrópodes vermetídeos, briozoários e foraminíferos. A bioerosão dos clastos e amostras do paleorecife foram dominadas por traços de esponjas (Cliona), poliquetas, sipunculídeos e, em menor proporção, moluscos bivalves. A alta diversidade de organismos cimentadores, presença de cimentos aragoníticos e calcíticos na cimentação inter-granular e sedimentação exclusivamente carbonática são importantes assinaturas tafonômicas encontradas. A energia das ondas e, principalmente, as variações eustáticas holocênicas foram importantes fatores tafonômicos geradores dos depósitos sedimentares recifais deste recife oceânico. As assinaturas tafonômicas encontradas têm um forte potencial como ferramenta para o reconhecimento e interpretação de recifes algálicos com características ambientais semelhantes e para o entendimento da história geobiológica do único Atol do Atlântico Sul Equatorial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank