CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO PETROLÓGICO E GEOQUÍMICO DAS ROCHAS MÁFICAS-ULTRAMÁFICAS DA REGIÃO DE VILA BELA DA SANTÍSSIMA TRINDADE - MT, PORÇÃO SUDOESTE DO CRÁTON AMAZÔNICO

Paulo César CORRÊA DA COSTA, Vicente Antonio Vitório GIRARDI, João Batista de MATOS, Amarildo Salina RUIZ, Ciro Teixeira CORREIA

Resumo


Mapeamento realizado na região de Vila Bela da Santíssima Trindade, no sudoeste do Estado de Mato Grosso revelou que a região é constituída de três unidades cristalinas não metamorfizadas (Granito Passagem, Intrusivas máficas-ultramáficas e Granito Vila Bela) sotopostas à unidade sedimentar do Grupo Aguapeí. Inferiu-se que o contato do Granito Passagem, de composição monzodiorítica, e as rochas intrusivas máficas-ultramáficas ocorre através de uma zona de cisalhamento. As rochas máficas-ultramáficas são constituidas essencialmente por gabros e hornblenda gabros cortados por diques de diabásios N45-65E. Piroxênios hornblenditos ocorrem somente em um afloramento. Os dados geoquímicos indicam afinidade toleítica e composição basáltica, com variação para composição andesitobasáltica apenas nos diques de diabásios. Os diagramas de variação indicam que os gabros, hornblenda gabros, e talvez piroxênio hornblendito, fazem parte de uma mesma suíte magmática. Entretanto, os diabásios mostram tendências geoquímicas distintas, o que leva a supor que as rochas máficas-ultramáficas derivaram-se de pelo menos duas fontes distintas. O Granito Vila Bela, de composição monzogranítica forma diques pegmatíticos intrusivos N60-65E, paralelos às fraturas nas rochas máficas-ultramáficas. O Grupo Aguapeí repousa em discordância erosiva sobre as rochas que constituem o seu embasamento e abrange toda a porção noroeste da área pesquisada.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank