CARACTERIZAÇÃO SEDIMENTAR E ASSEMBLEIAS DE FORAMINÍFEROS BENTÔNICOS DA PLATAFORMA EXTERNA EQUATORIAL, ADJACENTE AO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL

Allany de Paula Uchôa ANDRADE, Patrícia Pinheiro Beck EICHLER, Moab Praxedes GOMES

Resumo


Em estudos na plataforma continental brasileira com sedimentação mista carbonática e siliciclástica tem se utilizado de foraminíferos como bioindicadores de produtividade carbonática, correntes marinhas, entradas de nutrientes, e saúde ambiental. O presente trabalho tem como objetivo investigar a cobertura sedimentar recente da plataforma externa equatorial do Rio Grande do Norte, entre os vales incisos Apodi-Mossoró e Piranhas-Açu, para compreender a distribuição de nutrientes e produção carbonática através de assembléias de foraminíferos. Foram utilizados métodos estatísticos para os dados bióticos, em valores quantitativos e qualitativos. Análises granulométricas, de teores de CaCO3 e de matéria orgânica permitiram o reconhecimento de seis facies sedimentares. A presença de Globigerina rubra, Quinqueloculina patagonica, e Peneroplis pertussus está relacionada à intrusão de correntes oceânicas sobre a quebra da plataforma. Além disso, a presença de Buccella peruviana, se correlaciona aos altos teores de CaCO3 e matéria orgânica. As espécies de foraminíferos supracitadas podem indicar ocorrência de fenômenos oceânicos como giro tropical e ressurgência. A diversidade de organismos simbiontes e sua correlação aos abióticos se relacionam à produção carbonática e ao ambiente plataformal pristino.


Palavras-chave


Plataforma Externa; Fácies Sedimentares; Diversidade; Dominância; Foraminífero; Giro Tropical e Ressurgência.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank