ASPECTOS ESTRATIGRÁFICOS E ANÁLISE DE MINERAIS PESADOS DAS FORMAÇÕES IPIXUNA, BARREIRAS E PÓS-BARREIRAS, ENTRE AS CIDADES DE JACUNDÁ E GOIANÉSIA DO PARÁ, SUB-BACIA DE MOCAJUBA, SUDESTE DO ESTADO DO PARÁ

MEYRE JÉSSICA JAMES, ANTÔNIO EMÍDIO DE ARAÚJO SANTOS JÚNIOR, JEFERSON SENA DA COSTA

Resumo


Os depósitos sedimentares expostos ao longo da rodovia BR-150, entre as cidades de Jacundá e Goianésia do Pará, pertencem ao contexto da borda sul da Sub-Bacia de Mocajuba, Bacia do Marajó, situada na Margem Equatorial Brasileira (MEQ). Utilizando-se de forma integrada critérios faciológicos/litoestratigráficos, dados de campo e minerais pesados, as rochas da área de estudo foram correlacionadas às formações Ipixuna, Barreiras e Pós-Barreiras/Argila Belterra. Estudo de minerais pesados nestes depósitos permitiram identificar a seguinte assembleia mineralógica: zircão, turmalina, rutilo, estaurolita e cianita, com índice ZTR de alta maturidade em todas as unidades estratigráficas. Os minerais pesados possuem diversidade morfológica e grau de arredondamento predominantemente anguloso e subanguloso, inferindo rochas-fonte metamórficas, ígneas e sedimentares, provenientes do Cráton Amazônico, Cinturão Araguaia, Bacia do Grajaú ou Sub-Bacia de Cametá, onde os sedimentos da Formação Barreiras e Pós-Barreiras se depositaram “on lap” sobre a Formação Ipixuna.


Palavras-chave


Bacia do Marajó; Sub-Bacia de Mocajuba; Minerais Pesados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank