VARIAÇÕES DE ÁREA DAS GELEIRAS DA COLÔMBIA E DA VENEZUELA ENTRE 1985 E 2015, COM DADOS DE SENSORIAMENTO REMOTO

ISABEL CRISTIANE REKOWSKY, ULISSES FRANZ BREMER, BIJEESH KOZHIKKODAN VEETTIL

Resumo


As geleiras tropicais do norte andino têm apresentado retração desde o fim da Pequena Idade do Gelo (séc. XVI-XIX), retração esta que se acentuou a partir da segunda metade do século XX. Neste estudo, a variação de área das geleiras na Colômbia e Venezuela foi mapeada a partir de imagens Landsat adquiridas entre 1985 e 2015. Atualmente, na Colômbia, há geleiras na Sierra Nevada de Santa Marta, na Sierra Nevada del Cocuy e nos vulcões do Nevado del Ruiz, Santa Isabel, del Tolima e del Huila, enquanto na Venezuela, resta apenas uma massa de gelo na Sierra Nevada de Mérida. A extensão de cada geleira foi mapeada através do método Normalized Difference Snow Index (NDSI). Após a aplicação de um limiar, foram obtidos os polígonos com as áreas de gelo de cada geleira. Em 1985/1986, a soma das áreas das sete geleiras estudadas correspondia a 92,84 km2, enquanto no último ano estudado (2015/2016) esse valor passou para 36,97 km2. A redução de área ocorreu em todas as geleiras analisadas, com taxas de retração anual variando entre 2,49% a.a. e 8,46% a.a.


Palavras-chave


Geleiras tropicais; Norte andino; Normalized Difference Snow Index – NDSI.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank