A evolução do conhecimento sobre a Província Ígnea do Paraná: dos primórdios até 1950

Otavio Augusto Boni Licht

Resumo


O presente artigo resgata as pesquisas pioneiras sobre a Província Ígnea do Paraná e mostra que a acumulação do conhecimento científico foi iniciada de forma sólida a partir da metade do século XIX, quando estudos de campo identificaram a distribuição geográfica e a espessura do conjunto de rochas extrusivas, a faciologia dos derrames, a presença de rochas intrusivas, o contato transicional entre os primeiros derrames com os arenitos Botucatu, o modelo de vulcanismo fissural e a presença de rochas piroclásticas. Estudos de laboratório (geoquímica e petrografia) identificaram a presença de rochas de filiação básica e ácida, a zonalidade dos teores de ferro e do conteúdo em magnetita, eventos hidrotermais sin- e pós-magmáticos e seus produtos como zeólitas, pedras coradas e cobre. Com base nestas descobertas foi experimentada a correlação entre as províncias basálticas austrais para recompor o mosaico da "Terra de Gondwana".

Palavras-chave


Grupo Serra Geral; Província Ígnea do Paraná; Vulcânicas; Vulcano-clásticas; Intrusivas; Pesquisas pioneiras.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0100-929X.20140010

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Métricas

SCImago Journal & Country Rank
     
Google Scholar Profile

Indexação

A Revista do Instituto Geológico é indexada pelas seguintes Bases de Dados / Portais:

Scopus - Elsevier
    
GeoRef - GeoScienceWorld
   
Latindex
   Scilit - The Scientific Literature database
       
Portal de Periódicos CAPES
 
Zoological Records
 
Portal de Periódicos Eletrônicos em Geociências
  

 

Apoio

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
     
Instituto Geológico

 

Licença Creative Commons CrossRef - Similarity Check

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.