A institucionalização da pedologia como ciência por Friedrich Albert fallou: o caso brasileiro

Carlos Roberto Espindola

Resumo


O resgate da "história da ciência do solo" é realizado principalmente no âmbito da pedogênese, a partir da evolução das classificações taxonômicas. Desde a primeira metade do século XIX, naturalistas se interessaram por uma sistematização dos estudos sobre solos, que justificasse a criação de uma ciência autônoma, o que veio a ser proposto pelo alemão Friedrich Albert Fallou (1794-1877), com o termo "Pedologia". Entretanto, Fallou empregou nomes de solos extraídos das formações geológicas e das localidades de suas ocorrências, sendo criticado por não desenvolver uma classificação genética. Isso foi resolvido pelo russo V.V. Dokuchaev, que também adotou a mesma denominação, e por isso ganhou a paternidade desta ciência, o que foi contestado por diversos cientistas. Em 2008, com a tradução para o francês, a obra de Fallou passou a ser mais conhecida, reacendendo esta polêmica. Até 1960, a denominação dos solos no Brasil teve influência significativa de Fallou, como evidenciada pelo forte emprego de denominações geológicas.

Palavras-chave


História da pedologia; Pioneirismo de Fallou; Taxonomia antiga de solos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0100-929X.20140005

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Métricas

SCImago Journal & Country Rank
     
Google Scholar Profile

Indexação

A Revista do Instituto Geológico é indexada pelas seguintes Bases de Dados / Portais:

Scopus - Elsevier
    
GeoRef - GeoScienceWorld
   
Latindex
   Scilit - The Scientific Literature database
       
Portal de Periódicos CAPES
 
Zoological Records
 
Portal de Periódicos Eletrônicos em Geociências
  

 

Apoio

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
     
Instituto Geológico

 

Licença Creative Commons CrossRef - Similarity Check

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.