Criptomelana cuprífera formada durante o intemperismo das rochas da jazida de cobre do Salobo 3α, Serra dos Carajás

Maria Cristina Toledo-Groke, Adolpho José Melfi, Jean-Claude Parisot

Resumo


Estudos geoquímicos e mineralógicos do manto de alteração intempérica sobre rochas mineralizadas em cobre do Salobo 3α Serra dos Carajás, mostraram que o cobre liberado dos sulfetos por dissolução é, em grande parte, fixado no perfil de intemperismo e localizado em três principais fases mineralógicas: fase silicatada, fase ferruginosa e fase manganesífera. Apenas a fase manganesífera é objeto deste estudo. Trata-se de uma fase monominerálica, identificada como criptomelana, do grupo da hollandita, com teores variáveis de potássio. Diferentes técnicas analíticas (difração de raios-X, espectrometria infravermelho e microssonda eletrônica) foram utilizadas para caracterizar esta criptomelana e mostrar que ela pode conter até mais de 20% de Cu0.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0100-929X.19900004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Métricas

SCImago Journal & Country Rank
     
Google Scholar Profile

Indexação

A Revista do Instituto Geológico é indexada pelas seguintes Bases de Dados / Portais:

Scopus - Elsevier
    
GeoRef - GeoScienceWorld
   
Latindex
   Scilit - The Scientific Literature database
       
Portal de Periódicos CAPES
 
Zoological Records
 
Portal de Periódicos Eletrônicos em Geociências
  

 

Apoio

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
     
Instituto Geológico

 

Licença Creative Commons CrossRef - Similarity Check

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.