Estimativa do fluxo de calor no solo a partir da temperatura do solo em São Paulo, SP

Frederico Luiz Funari, Augusto José Pereira Filho

Resumo


O fluxo de calor no solo é um dos componentes do balanço de energia, que, junto com calor latente e sensível e os processos biológicos, é resultado da partição da energia líquida disponível. Esse índice geralmente é obtido a partir de medições com fluxímetros, termômetros de solo, ou ainda, estimado por satélites ambientais, segundo metodologias específicas. Neste trabalho, utilizaram-se medições de temperatura do solo a 0 e 20 cm de profundidade para calcular o fluxo de calor no solo por meio do método de DECICO (1967). As medições foram realizadas em uma área de Latossolo Vermelho-Amarelo no Parque Estadual Fontes do Ipiranga (PEFI), importante remanescente preservada da Mata Atlântica na Região Metropolitana de São Paulo, que dispõe de uma importante série histórica de dados climáticos. Os resultados indicam que o fluxo de calor médio é de 3,69 W m-2 ou 2,83% da energia líquida disponível, semelhante a áreas de Mata Atlântica e Floresta Amazônica.


Palavras-chave


Fluxo de calor no solo; Temperatura do solo; Balanço de energia; Parque Estadual Fontes do Ipiranga; Mata Atlântica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0100-929X.20170004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank

Indexação

A Revista do Instituto Geológico é indexada pelas seguintes Bases de Dados / Portais:

Scopus - Elsevier
    
GeoRef - GeoScienceWorld
   
Latindex
     
Portal de Periódicos CAPES
 
Zoological Records
 
Portal de Periódicos Eletrônicos em Geociências

 

Apoio

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)