DIATOMEAS COMO INDICADORAS PALEOAMBIENTALES EN LA FORMACIÓN RÍO NEGRO, PROVINCIA DE RÍO NEGRO, ARGENTINA

NATALIA CABALLERO, YESICA NASS, BEATRIZ GUTIÉRREZ TÉLLEZ

Resumo


Associações de diatomáceas foram estudadas em sedimentos extraídos de sequencias aflorantes nas falésias da Formação Rio Negro, ao noroeste da província de Rio Negro. Foram realizadas interpretações paleoambientais da área no intervalo correspondente ao Neomioceno-Eoplioceno. Os dados obtidos das amostras estudadas foram analisados levando em consideração as características ecológicas de cada táxon. As seções sedimentares menores mostraram um paleoambiente composto por níveis eólicos com lagoas interdunares, com pouco fluxo de água e alta influência de aridez e evaporação. A flora de diatomácea é representada por táxons de água doce, salobra e marinha. As lagunas se caracterizaram por ser de interduna com uma alternância entre condições úmidas e secas. Durante as condições úmidas se estabeleceram lagoas com maior entrada de água, devido a combinação de diferentes processos, tais como aumento de água meteórica e aumento do nível freático. Em períodos secos, as lagoas modificaram sua salinidade de água doce à água salgada devido aumento da evaporação causada pela aridez. Um incremento na deposição de sedimentos arenosos, o efeito do vento e a redução da água finalizaram o desenvolvimento desses paleoambientes. Além disso, se estabeleceu uma influência marinha episódica e marginal devido a presença de diatomáceas alóctones de origem marinha.


Palavras-chave


Diatomáceas; Paleoambientes; Formação Rio Negro; Província Rio Negro; Mioceno-Plioceno; Argentina.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2015.3.09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar