BIOSTRATIGRAPHIC AND PALEOZOOGEOGRAPHIC REVIEW OF THE UPPER APTIAN-ALBIAN OSTRACODS OF RIACHUELO FORMATION, SERGIPE-ALAGOAS BASIN, NORTHEASTERN BRAZIL

LUCAS SILVEIRA ANTONIETTO, DERMEVAL APARECIDO DO CARMO, MARTA CLAUDIA VIVIERS, RODRIGO RODRIGUES ADÔRNO

Resumo


Uma revisão bioestratigráfi ca e paleozoogeográfi ca dos ostracodes do Aptiano superior-Albiano da Formação Riachuelo, bacia de Sergipe-Alagoas, Brasil, foi proposta no presente trabalho. O material estudado compreendeu 336 amostras de vários afl oramentos, juntamente com testemunhos de poços perfurados pela Petróleo Brasileiro S.A. (PETROBRAS). Após a análise taxonômica, incluindo a descrição de Reticulocosta edrianae sp. nov., um novo zoneamento bioestratigráfi co foi obtido para a formação, e as afi nidades paleozoogeográfi cas da província Brasil-África Central Ocidental (incluindo a bacia de Sergipe-Alagoas) foram revistas por meio da comparação com resultados publicados na literatura existente. Várias mudanças foram feitas nas biozonas previamente estabelecidas com base em ostracodes. O código da Zona Aracajuia benderi (OSE-1) foi alterado para MSA-0, com impacto extendido às suas subdivisões. As subzonas Pattersoncypris ex. gr. angulata, (OSE-1.1) ‘Patellacythere’ sp. GA E 27 (OSE-1.3) e Veenia guianensis (OSE-1.4) tiveram seus nomes e espécies guia alterados respectivamente para Harbinia sinuata (MSA-0.1), Praebythoceratina amsittenensis (MSA-0.3) e Reticulocosta edrianae (MSA-0.4), respectivamente. A subzona Sergipella viviersae (OSE-1.2) teve seu código alterado para MSA-0.2; além disso, um novo estratótipo foi proposto para a mesma, e o seu limite inferior foi reposicionado do Albiano inferior para o Aptiano superior. A Subzona Metacytheropteron aff. Metacytheropteron sp. GA C 24 (OSE-1.5) foi renomeada como MSA-0.5. A Zona Diferencial Superior Aracajuia antiqua (MSA-1), do Albiano terminal, é aqui proposta, uma vez que espécimes tidos como fósseis guia para a Subzona Aracajuia benderi (OSE-1.6) são aqui identifi cados como pertencendo à espécie Aracajuia antiqua. Análises paleozoogeográfi cas evidenciaram intercâmbio de faunas da Província Brasil-África Central Ocidental com províncias Tetianas a partir do Neoaptiano, tanto em nível de espécie quanto de gênero. Infl uxos marinhos limitados para o norte através da Cordilheira de Walvis também foram observados durante o Albiano, enquanto migração de maior intensidade em direção ao sul ocorreu no Eocenomaniano. A presença de espécies de Brachycytherinae na Província Brasil-Central África Ocidental a partir do Aptiano indica uma nova origem zoogeográfi ca para esta subfamília, ao mesmo tempo em que explica a ocorrência do grupo tanto em regiões austrais quanto tetianas durante o Albiano.

Palavras-chave


Eocretáceo; Proto-oceano Atlântico Sul; Ostracodes marinhos; Zona MSA-1; Intercâmbio faunístico.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2015.3.02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar