FORAMINÍFEROS PLANCTÔNICOS E BENTÔNICOS CRETÁCEOS DA ILHA DE QUIEPE, FORMAÇÃO ALGODÕES, BACIA DE CAMAMU, BAHIA, BRASIL

GRACE BATISTA CARNEIRO MASCARENHAS, DENIZE SANTOS COSTA, ENELISE KATIA PIOVESAN, ALTAIR DO DE JESUS MACHADO

Resumo


Um programa de coleta de amostras na Baía de Camamu e seus arredores foi empreendida para avaliação microfossilífera de afloramentos da Formação Algodões, Bacia de Camamu. Das bacias da margem leste brasileira, a Bacia de Camamu é a menos conhecida. Este trabalho objetivou identificar os foraminíferos planctônicos e bentônicos da Formação Algodões, Bacia de Camamu, bem como realizar inferências bioestratigráficas, paleoecológicas e paleobiogeográficas com base na associação recuperada. As áreas de coleta de amostras foram a Ilha de Boipeba (praias de Boipeba e Tassimirim) e a Baía de Camamu (praias de Barra Grande e Taipús; e as ilhas de Quiepe e Cangaíba). No total, foram coletadas 50 amostras de rochas, constituídas, em sua maioria, de calcarenitos, além de dolomitos, calcilutitos e folhelhos calcíferos. Todo o material foi submetido a técnicas para recuperação ou observação de microfósseis em rochas calcárias: lâmina delgada, métodos de preparação de acetólise e de peróxido de hidrogênio. Somente cinco amostras provenientes da Ilha de Quiepe mostraram resultados. Os táxons de foraminíferos planctônicos pertencentes ao gênero Whiteinella (W. aff. aprica, W. archaeocretacea, W. baltica e Whiteinella sp. 1) foram identificados, além de dois espécimes do gênero Hedbergella (Hedbergella? sp.1). Os estudos paleoecológicos, baseados nos foraminíferos bentônicos, revelaram predominância de formas calcárias (Bolivinidae?), seguidas pelas aglutinantes (Spiroplectamminidae? e Textulariidae?). A ocorrência de W. aff. aprica, W. archaeocretacea e W. baltica, na associação planctônica sugeriu idade neocenomaniana a neoturoniana (parte inferior) para a seção estudada da Formação Algodões. Porém, a integração com dados de amonoides (Mammites, Kamerunoceras, Romaniceras e Neoptychites) permitiu uma resolução bioestratigráfica melhor, indicando estratos de idade eo-mesoturoniana. Os foraminíferos bentônicos observados (Bolivinidae?, Spiroplectamminidae? e Textulariidae?) apontou para a predominância de morfogrupos de modo de vida infaunal, que viveram em substratos formados preferencialmente por lamas calcárias, e, que ocuparam provavelmente biótopos situados entre o nerítico médio e nerítico profundo. A observação da associação de espécies do gênero Whiteinella (W. aff. W. aprica, W. archaeocretacea, W. baltica e Whiteinella sp. 1) junto com a espécie de ostracode Sapucariella ex gr. sapucariensis se constituem em registros importantes para a proposição de bioprovíncias no Cretáceo superior das bacias atlânticas da América do Sul e África.

 


Palavras-chave


Bacia de Camamu; Turoniano; Foraminíferos; Taxonomia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2017.1.04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar