OBSERVAÇÕES SOBRE A REPARTIÇÃO ESPACIAL DOS RESTOS FÓSSEIS DE PREGUIÇA-GIGANTE (GÊNERO EREMOTHERIUM) NA LAGOA URI DE CIMA, PERNAMBUCO, BRASIL

ANDREA MARIA FRANCESCO VALLI, DEMÉTRIO MUTZENBERG

Resumo


São aqui apresentados os resultados de um estudo sobre a disposição espacial, análises das marcas e condições de preservação dos restos de preguiça-gigante (Eremotherium) descobertos na Lagoa Uri de Cima (Salgueiro, PE, Brasil). Os elementos esqueléticos de um mesmo indivíduo, um adulto, encontrados em uma área restrita (de cerca 8 m de diâmetro) e seu padrão tafonômico indica que o animal chegou à lagoa no estado de carcaça e seus ossos foram espalhados e danificados subsequentemente, sobretudo pelo pisoteamento de outros animais de grande porte quem transitaram no lugar. Esse modelo tafonômico pode também aplicar-se a alguns outros indivíduos de Eremotherium dessa lagoa, mas não a todos. Isso significa que a série de processos envolvidos na formação de um depósito fossilífero de lagoa é, em geral, relativamente complexa.

Palavras-chave


Tafonomia; Intemperismo; Megatheriidae; Brasil; Região Nordeste.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2016.3.14

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar