PALEOICTIOFAUNA DA FORMAÇÃO PIMENTEIRA (DEVONIANO), BACIA DO PARNAÍBA, PI, BRASIL

RODRIGO TINOCO FIGUEROA, DEUSANA MARIA DA COSTA MACHADO

Resumo


A Formação Pimenteira se estende pela borda leste da Bacia do Parnaíba e corresponde ao Devoniano Médio e Superior (Eifeliano–Frasniano). Tal formação possui como fauna característica uma associação de invertebrados, principalmente gastrópodes, braquiópodes e trilobitas. Porém, também são encontrados raros restos isolados de vertebrados em precário estado de preservação. A fauna de vertebrados dessa região vem sendo estudada desde meados do século vinte e, até então, não havia demonstrado uma variedade taxonômica significativa, sendo originalmente composta apenas por espinhos de nadadeira de Machaeracanthus e Ctenacanthus. Neste estudo, além de discutir a paleoictiofauna já conhecida para esta formação, acrescenta-se outros restos fósseis, incluindo: um novo espinho de Machaeracanthus; o registro inédito de espinhos de Acanthodii Climatiiformes, um deles semelhante a Ptomacanthus e o outro a Climatius enodicosta; além de Chondrichthyes representados por um espinho semelhante ao de Antarctilamna e fragmentos de espinho de Ctenacanthus kegeli. Por fim, apresenta-se o primeiro possível registro de Placodermi para a Formação Pimenteira e para a Bacia do Parnaíba. Tais ocorrências ampliam consideravelmente o conhecimento da fauna de vertebrados desta unidade e também auxiliam na compreensão de conexões entre bacias sul-americanas durante o Devoniano, devido à semelhança do conteúdo fossilífero entre a Formação Pimenteira e formações fossilíferas da América do sul, principalmente as da Bolívia.

Palavras-chave


Chondrichthyes; Acanthodii; Placodermi; Ictiodorulitos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2016.3.13

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar