PALINOESTRATIGRAFIA DA FORMAÇÃO SOLIMÕES: COMPARAÇÃO ENTRE BIOESTRATIGRAFIA TRADICIONAL E O MÉTODO DE ASSOCIAÇÕES UNITÁRIAS

KARINA ELOIZA KACHNIASZ, SILANE APARECIDA FERREIRA DA SILVA-CAMINHA

Resumo


Análises palinológicas foram realizadas em 48 amostras coletadas nos poços 1AS-31-AM e 1AS-34-AM a fim de se estabelecer um quadro bioestratigráfico local usando métodos bioestratigráficos qualitativos e quantitativos. Os poços foram locados para a pesquisa do potencial linhítico da Formação Solimões, na década de 1970. Nossos resultados em palinoestratigrafia, pelo método tradicional, sugerem idades Neomioceno e Plioceno. As espécies-índice como Grimsdalea magnaclavata, grãos de pólen fenestrados, Ladakhipollenites? caribbiensis e Echitricolporites mcneillyi permitem incluir tais seções dentro das subzonas Psilatricolporites caribbiensis e Echitricolporites-Alnipollenites sensu Lorente. Usando o método de Associações Unitárias, sete associações unitárias e quatro zonas foram criadas indicando uma composição de espécies similares entre os poços. Comparações entre os dois métodos indicam que ambos os poços são contemporâneos.

Palavras-chave


Formação Solimões; Bioestratigrafia; Mioceno superior-Plioceno; Associação Unitária.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2016.3.12

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar