TRIPOLI NO SUBGRUPO IRATI: A OCORRÊNCIA DE IPEÚNA, ESTADO DE SÃO PAULO

JORGE KAZUO YAMAMOTO, TARCÍSIO JOSÉ MONTANHEIRO, JORGE HACHIRO

Resumo


Trípolis são rochas compostas essencialmente por quatzo microcristalino, cuja origem é atribuída aos estágios finais de intemperismo de rochas carbonáticas silicificadas, tendo os carbonatos sido removidos por processes intempéricos. Os estudos realizados sobre uma ocorrência de trípoli no Membro Ipeúna (Subgrupo Irati) no município homônimo, Estado de São Paulo, comprovam a origem desta rocha, a partir da silicificação de rochas carbonáticas. Nesta ocorrência, parte das camadas de calcário dolomíticos, dos pares interestratificados calcário-folhelho, está representada por Trípoli. Estudos experimentais de ataque ácido em calcários dolomíticos silicificados demonstraram ser possível a formação de Trípoli, a partir de uma silicificação parcial (10-15 % de SiO2). Propõe-se neste trabalho o processo diagenético para silicificação de calcários dolomíticos do Membro Ipeúna, a partir de fluidos ricos em Si mobilizados das estruturas cristalinas de argilominerais do grupo das esmectitas, contidos nos folhelhos. Entretanto, não é totalmente descartada uma contribuição hidrotermal, para a silicificação parcial de calcários dolomíticos do Membro Ipeúna, derivada do magmatismo Serra Geral.


Palavras-chave


Trípoli; Membro Ipeúna; Subgrupo Irati.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.