CLASSIFICAÇÃO DE ALGUMAS AMOSTRAS DE TECTITOS DO MUSEU NACIONAL, RIO DE JANEIRO, PELO MÉTODO DE TRAÇOS DE FISSÃO

ARIADNE DO CARMO FONSECA, GIULIO BIGAZZI, MARIA ELIZABETH ZUCOLOTO, PIO NORELLI

Resumo


A finalidade desse trabalho foi tentar determinar através da datação pelo método dos traços de fissão a proveniência de algumas amostras de tectitos, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, descritas como moldavitas, exceto uma classificada como indochinito. Os resultados obtidos comprovam que as idades em torno de 0,6 a 0,7 Ma, (obtidas em 4 amostras) são relacionadas à formação dos tectitos do sudeste asiático e Australia, e a idade em torno de 32,5 Ma (obtida para uma amostra) aos tectitos dos Estados Unidos, denominados georgiaitos e bediasitos o que demonstra que a classificação de algumas amostras como moldavitas não é correta.


Palavras-chave


Tectitos; Indochinitos; Moldavitas; Datação por traços de fissão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.