ESTRATIGRAFIA E EVOLUÇÃO PALEOGEOGRÁFICA DO GRUPO SANTA BÁRBARA (EDIACARANO) NA SUB-BACIA CAMAQUÃ OCIDENTAL, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

GELSON LUÍS FAMBRINI, RENATO PAES DE ALMEIDA, ANTONIO ROMALINO SANTOS FRAGOSO-CESAR

Resumo


No Sul e Sudeste do Brasil e no extremo Sul do Uruguai, ocorrem diversos depósitos sedimentares e vulcanogênicos posteriores ao Ciclo Brasiliano. No Rio Grande do Sul encontram-se as melhores exposições destas ocorrências, englobadas no Supergrupo Camaquã. Esta unidade abrange (i) Grupo Maricá, (ii) Grupo Bom Jardim, (iii) Formação Acampamento Velho, (iv) Grupo Santa Bárbara, (v) Grupo Guaritas e (vi) Suíte Intrusiva Rodeio Velho, totalizando mais de 8000 metros de espessura. O Grupo Santa Bárbara aflora nas três sub-bacias que compõem o Supergrupo Camaquã, em ocorrências contínuas nas sub-bacias Camaquã Ocidental e Oriental e em janelas estruturais sob o Grupo Guaritas na Sub-Bacia Camaquã Central. A evolução estratigráfica e paleogeográfica da Sub-Bacia Camaquã Ocidental é o tema do presente artigo. As unidades aflorantes na Sub-Bacia Camaquã Ocidental compreendem, na base, conglomerados e arenitos fluviais associados a leques aluviais, que ocorrem no sopé da serra de Santa Bárbara e nas colinas a sul do vale do Seival, englobadas na Formação Estância Santa Fé. Sobre esta unidade ocorrem ritmitos psamo-pelíticos da Formação Seival, expostos nos vales do arroio do Seival e do arroio Santa Bárbara, que compõem sucessão progradante para arenitos tabulares rítmicos de águas rasas, sendo abundantes, em toda a unidade, evidências de ação de marés. Sobre esta formação ocorrem arenitos de rios entrelaçados com conglomerados associados da Formação Serra dos Lanceiros. Esta unidade fluvial é parcialmente interrompida, na porção norte da sub-bacia, por sucessão de ritmitos e arenitos tabulares lagunares com evidências de ação de marés, que afloram no vale do arroio dos Lanceiros (Formação Arroio Umbu). Os siltitos e arenitos lagunares são sobrepostos, no norte da área, por arenitos finos a médios de frente deltaica que representam a progradação do delta intra-estuarino. Sobre estes depósitos lagunares há nova progradação de arenitos fluviais seguidos por conglomerados de leques aluviais, na serra do Segredo, constituindo a Formação Pedra do Segredo. Evento importante de reestruturação da bacia, registrado na Formação Pedra do Segredo, ocorre associado à transgressão dos depósitos estuarinos sobre a planície aluvial, com o soerguimento do alto de Caçapava do Sul e individualização da Sub-Bacia Camaquã Ocidental, concomitantemente ao aumento das taxas de subsidência. A origem tectônica desse conjunto é evidenciada pela proveniência de clastos do alto de Caçapava do Sul e pela presença de fácies de leques deltaicos intercaladas às porções proximais do sistema lagunar e progradando sobre o conjunto.

Palavras-chave


Grupo Santa Bárbara; Bacia do Camaquã; Análise de fácies; Estratigrafia; Ediacarano.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.