Plúton Desemborque: exemplo de corpo a metais raros (Nb, Zr, Hf) e estanho no estado de São Paulo

Ronaldo Mello Pereira, Ciro Alexandre Ávila, Julio Cezar Mendes, Reinner Neumann, Cassiano Castro

Resumo


O Plúton Desemborque, um corpo circunscrito, de forma aproximadamente circular, situado no sul do Estado de São Paulo, tem área aflorante de 50 km2 e é representado por um biotita sienogranito, provavelmente, relacionado ao evento Neoproterozóico III. Teores significativos de K2O e Na2O, juntamente com o baixo conteúdo de CaO, altas razões Fe/Mg, altos valores de SiO2 e de elementos traços como Zr, Nb e Y, atestam a afinidade alcalina do granito que pode ser classificado como do tipo A. Os teores elevados de Y refletem a presença de fases acessórias como allanita, columbita e, talvez, xenotímio. Processos de alteração tardi a pós-magmáticos do tipo metassomatismo sódico, greisenização, epidotização, sulfetização e martitização afetaram partes do corpo. Columbita, zircão com alto conteúdo em háfnio e cassiterita da associação de minerais acessórios do Plúton Desemborque foram analisados semiquantitativamente (teores em peso) por MEVEDS. O Nb2O5 da columbita varia de 75,4% a 58,9% e o Ta2O5 de 2,1% a 13,7%. A principal inclusão mineral presente corresponde a mica (biotita?). O zircão, com HfO2 entre 12,6% e 15,6% (~ 15 mol. % HfSiO4), foi classificado como um zircão hafnífero. A torita e a uraninita são as principais exsoluções presentes, sendo as inclusões de: magnetita, quartzo, mica, tremolita, monazita, xenotímio e bastnäsita (?). Teores mais altos de HfO2 (21,7%) só foram encontrados em zircão hospedado na cassiterita. A cassiterita tem teores de SnO2 entre 98,3% e 99,5%, Ta2O5 de 0,4% a 0,6% e Nb2O5 entre 0,0% e 0,3%. As principais inclusões minerais são de: columbita, magnetita, ilmenita, wolframita, ilmenorutilo, zircão hafnífero e ítriocolumbita. Preliminarmente, o Plúton Desemborque se aproximaria do modelo dos granitos peralcalinos mineralizados a metais raros com tendência a formar depósitos ou ocorrências de Nb e ETR. Os empecilhos para essa classificação seriam as ausências de quimismo peralcalino apresentado pelo corpo e dos típicos minerais de Y (xenotímio) e terras raras (monazita) associadas ao granito. Estes minerais (xenotímio, ítriocolumbita, monazita e bastnäsita) somente ocorrem inclusos nos cristais de cassiterita e de zircão.

Palavras-chave


Plúton Desemborque; Granito com metais raros; Columbita; Zircão hafnífero; Cassiterita.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.