Idade U-Pb do dique sienítico Anurí, sul da Bahia: magmatismo alcalino-potássico paleoproterozóico e sua implicação para a orogenia transamazônica no Cráton do São Francisco

Herbet Conceição, Maria de Lourdes da Silva Rosa, Felix Oberli, Débora Correia Rios

Resumo


O Dique Sienítico Anuri (72 km2) é o representante sul de um alinhamento N-S, com cerca de 1.000 km de extensão, de grandes diques de sienito que ocorrem na região leste da Bahia. Ele, como os demais, é constituído essencialmente por sienito hipersolvus com afinidade ultrapotássica, que guarda evidências de sua diferenciação pela presença de cumulatos máfico-ultramáficos ricos em apatita. Sua idade de cristalização de 2095 ± 4 Ma (U-Pbzircão) superpõe àquelas obtidas para os outros diques de sienito, indicando que as intrusões desses corpos se processaram de forma sincrônica, após o clímax da Orogenia Transamazônica. Os dados geoquímicos revelam que esses sienitos apresentam-se enriquecidos em Ba, Sr, P e ETRLeves, constantes vales em Ti e Nb, indicando uma fonte mantélica afetada por subducção. As razões dos isótopos iniciais Sr e os valores de εNd apontam para um manto anômalo do tipo EMI. Esses dados sugerem que, ao final da Orogenia Transamazônica, no Cráton do São Francisco, foram reunidas condições particulares que propiciaram a geração de magmas alcalinos a partir da fusão de manto enriquecido do tipo EMI.

Palavras-chave


Sienito; U-Pb zircão; Cráton do São Francisco; Bahia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.