Proveniência sedimentar: métodos e técnicas analíticas aplicadas

Marcus Vinicius Dorneles Remus, Rogério Schiffer Souza, José Antonio Cupertino, Luiz Fernando De Ros, Norberto Dani, Maria Lidia Vignol-Lelarge

Resumo


A análise da proveniência sedimentar é uma ferramenta crescentemente utilizada na análise de bacias e particularmente na exploração de reservatórios de hidrocarbonetos. A composição original das areias controla diretamente os tipos e a intensidade dos processos diagenéticos de redução e geração de porosidade nos arenitos. Por isso, estudos de proveniência capazes de identificar a distribuição espacial e temporal da composição original das areias são fundamentais para a predição da qualidade de potenciais arenitos-reservatório. A análise de proveniência permite identificar a composição mineralógica e litológica das áreas-fonte, inferir sua localização geográfica, clima e relevo, determinar as principais rotas de distribuição das areias, e estimar a distância e tempo de transporte. A diversidade de minerais pesados encontrada em arenitos e a ocorrência de paragêneses diagnósticas de rochas-fonte particulares torna a análise de minerais pesados a técnica mais sensível e robusta aplicada na análise de proveniência. A combinação de análises de minerais pesados detríticos com a petrografia de rocha-total, composição de feldspatos, tipologia de quartzo e tipos de fragmentos de rocha permitem estabelecer a complexa história do sedimento desde a área-fonte até o sitio de deposição. Além disso, as técnicas analíticas modernas de microanálise permitem a determinação precisa, da composição química de grãos detríticos individuais por meio de microssonda eletrônica (p.ex. granadas e turmalinas), das idades de zircão, monazita e titanita via SHRIMP (Sensitive High Resolution Ion Microprobe) ou ICPMS - LA (Inductively-Coupled Plasma Mass Spectrometry by Laser Ablation). Estes dados conectam diretamente os grãos nos arenitos com a composição ou idade das rochas ígneas ou metamórficas dos terrenos-fonte. Adicionalmente, estudos de traços de fissão em zircão e apatitas determinam as principais idades de soerguimento e erosão dos terrenos-fonte. Estudos integrados da proveniência de arenitos de setores particulares de diversas bacias marginais brasileiras estudadas (Santos, Campos, Espírito Santo, Jequitinhonha e Pelotas,) permitiram identificar as principais áreas-fonte e rotas de dispersão das areias destas bacias. Estes trabalhos devem contribuir substancialmente, juntamente com estudos de diagênese, para a redução dos riscos envolvidos na exploração por reservatórios clásticos nas bacias marginais brasileiras.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.