Migração de depocentros na Bacia de Santos: importância na exploração de hidrocarbonetos

Mário Luis Assine, Fernando Santos Corrêa, Hung Kiang Chang

Resumo


Recentes descobertas de petróleo atraíram a atenção para a Bacia de Santos, localizada na região sudeste da costa brasileira. A bacia está situada a sul da Bacia de Campos, a mais prolífera província de petróleo do Brasil. As bacias são separadas pelo alto de Cabo Frio e apresentam muitas similaridades na evolução estrutural e estratigráfica. A seção terciária é bem desenvolvida em ambas as bacias, porém os registros do Cretáceo superior são significativamente mais expressivos na Bacia de Santos, representados por espessas cunhas clásticas progradacionais formadas do Santoniano ao Maastricthiano. Espaço de acomodação foi gerado pela retirada do sal e sua migração em direção as porções de águas profundas da bacia, com rafting das seqüências carbonáticas albianas e deposição de folhelhos marinhos com intercalações de turbiditos Ilhabela no Cenomaniano-Turoniano. Devido ao deslocamento dos evaporitos aptianos, cunhas clásticas progradacionais sobre a discordância pré-aptiana colocaram em contato rochas geradoras da seqüência rifte com rochas reservatórios do Cretáceo superior. O sal continuou em movimento, mas seu maior deslocamento ocorreu durante o Neo-Cretáceo, não tendo sido a progradação das clinoformas simultânea ao longo da bacia. Para entender o arcabouço estratigráfico das seqüências deposicionais e migração de seus depocentros, foi realizada análise estratigráfica utilizando dados de sísmica 2D e de poços. Mapas de isópocas e de razões litológicas foram construídos com base em 60 poços, os quais mostraram claramente migração dos depocentros para nordeste no Neo-Cretáceo, em direção a Bacia de Campos, onde a seção terciária é melhor desenvolvida. Na parte norte da Bacia de Santos, a seção terciária inferior é caracterizada pela existência de proeminentes progradações deltaicas associadas a sistemas turbidíticos. Um outro importante depocentro terciário está localizado na parte sul da bacia, onde sistemas de águas profundas foram reconhecidos em seções sísmicas, ainda não perfurados. O reconhecimento do caminho da migração dos depocentros é um importante guia geológico para a exploração de óleo e gás, porque permite interpretações acerca da idade da formação de rochas reservatório e do tempo de migração dos hidrocarbonetos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.