Hidrogeologia e geometria dos aquíferos das formações cretáceas Içá e Solimões, Bacia Paleozoica do Solimões, na região de Urucu, Amazonas

Paulo Henrique Ferreira Galvão, José Geilson Alves Demétrio, Eliene Lopes de Souza, Cleane do Socorro da Silva Pinheiro, Marcus Paulus Martins Baessa

Resumo


As águas subterrâneas desempenham um papel fundamental no ciclo da água na região Amazônica e constituem uma reserva expressiva de boa qualidade, podendo ser utilizadas para diversos fins. As informações hidrogeológicas em tal região são ainda muito escassas, restringindo-se apenas aos aquíferos dos depósitos do Cenozoico (formações Solimões e Alter do Chão), com estudos concentrados particularmente nas regiões de Manaus, no Amazonas, e de Belém, no Pará. Dessa forma, são necessários estudos hidrogeológicos sistemáticos que permitam caracterizar os aquíferos quanto à geometria, à produtividade, às condições de recarga, entre outros, possibilitando aperfeiçoar a explotação e o uso da água subterrânea, de modo a garantir sua sustentabilidade. O presente trabalho, desenvolvido na Província Petrolífera de Urucu, município de Coari, estado do Amazonas, teve como objetivo a caracterização hidrogeológica do Sistema Aquífero Içá-Solimões. O estudo revelou que este sistema possui espessura média de 50 m, com superfície convexa, revelada por meio do mapa de isóbatas. O fluxo da água subterrânea é em direção ao Rio Urucu (SSE/NNW), concordante com a superfície topográfica. Os valores médios de transmissividade, coeficiente de armazenamento e condutividade hidráulica foram de 3 x 10-3 m2/s, 5 x 10-4 e 1 x 10-4 m/s, respectivamente. Concluiu-se que se trata de um aquífero do tipo livre-confinado, apresentando um bom potencial de explotação, sendo utilizado para abastecimento da província.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z0375-75362012000500012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.