Paleostress Analysis in Brittle Structures of the Camaquã Copper Mines

Maurício Guerreiro Martinho dos Santos, Renato Paes de Almeida, Antonio Romalino Santos Fragoso-Cesar

Resumo


Análise de Paleotensões em Estruturas Rúpteis das Minas de Cobre do Camaquã. Planos de falhas com estrias e indicadores de movimento encontrados nas Minas do Camaquã, Município de Caçapava do Sul (RS, Brasil), foram analisados por meio de métodos gráficos e softwares de geologia estrutural para a determinação das orientações dos campos de esforços envolvidos nos diversos eventos tectônicos que afetaram a região, obtendo-se, assim, os paleocampos de tensões. Foram adquiridos 94 dados de falhas com estrias e indicadores cinemáticos que foram interpretados em campo e pelo software Tensor. A cronologia relativa dos eventos foi determinada por relações de cortes entre estrias em planos de falha e análise estratigráfica, embasada em trabalhos regionais disponíveis na literatura. Os dados de campo foram integrados por meio de sistemas de informação geográfica para correlação com dados obtidos via sensoriamento remoto e processamento de imagens. Foram identificados quatro paleocampos de tensão distintos: distensão ENE a NE (Cretáceo); compressão NNE a N-S (Triássico); distensão NW (Paleozoico); compressão WNW (Cambriano). Um estudo específico envolvendo exclusivamente as estruturas rúpteis mineralizadas levou à proposição de um modelo de mineralização para as Minas do Camaquã. Esse modelo compreende um sistema de abertura e preenchimento de fraturas paralelas ao esforço horizontal máximo, semelhante a fraturas tipo-T, durante o evento de deformação transcorrente principal que afetou a Bacia do Camaquã em ~ 530 Ma.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z0375-75362012000300011

Apontamentos

  • Não há apontamentos.