Sedimentology of the Psammo-pelitic-carbonate Unit, Paranoá Group, and Sete Lagoas Formation, Bambuí Group: examples of mixed carbonate-siliciclastic sedimentation in the Proterozoic of the Brasília Fold Belt

José Eloi Guimarães Campos, Jéssica Bogossian, Rômulo Mendes Carvalho

Resumo


Sedimentologia da Unidade Psamo-pelito-carbonatada, Grupo Paranoá e da Formação Sete Lagoas, Grupo Bambuí: exemplos de sedimentação mista carbonática-siliciclástica no Proterozoico da Faixa Brasília. Apesar de muito importantes e de ocorrerem em várias sucessões litoestratigráficas na Faixa Brasília, as plataformas mistas de sedimentação silicilástica-carbonática ainda são pouco estudadas. O presente trabalho objetivou a determinação das condições deposicionais da unidade de topo do Grupo Paranoá (Unidade Psamo-Pelito-Carbonatada) e da Formação Sete Lagoas (base do Grupo Bambuí) na Faixa Brasília. A sedimentação das duas sucessões se deu em uma plataforma mista controlada pela paleogeografia de fundo em que as fácies carbonáticas foram depositadas em águas mais rasas e apenas ocasionalmente mais agitadas e as fácies terrígenas ocupavam as águas mais profundas. No Grupo Paranoá, as pequenas lentes de calcário e dolomito ocupavam as áreas mais elevadas, enquanto os pelitos se depositavam nas depressões e os psamitos correspondem aos canais na plataforma. Na Formação Sete Lagoas, a deposição das maiores lentes de rochas carbonáticas se dava sobre as elevações herdadas da superfície erosiva pós-glacial que marca a discordância entre os grupos Paranoá e Bambuí. Nas duas unidades, o processo de precipitação de lamas micríticas foi predominante nas fácies carbonáticas, enquanto o retrabalhamento por base de ondas ocorria de forma esporádica e associado a movimentos progradacionais/retrogradacionais. A agradação de lamas terrígenas foi o processo responsável pela sedimentação das fácies pelíticas. As dimensões, espessuras e distribuição das lentes de rochas carbonáticas mostram que o paleo relevo era mais acentuado durante a deposição da Formação Sete Lagoas, se comparado à Unidade Psamo-Pelito-Carbonatada. Por outro lado, a taxa de sedimentação foi maior durante a deposição da Unidade Psamo-Pelito-Carbonatada que na Formação Sete Lagoas.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z0375-75362012000300006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.