Dentes de terópodes da Formação Marília (Neomaastrichtiano) do sítio paleontológico de Peirópolis do estado de Minas Gerais, Brasil

Carlos Roberto A. Candeiro, Philip J. Currie, Lílian P. Bergqvist

Resumo


Dentes de dinossauros terópodes possuem várias características morfológicas a nível familiar. As principais características diagnósticas são: a forma do dente em seção transversal e a presença de enrugamentos na coroa do dente. Terópodes representam os restos de vertebrados mais comuns na assembleia fóssil do Membro Serra da Galga, Formação Marília (Neomaastrichtiano), Bacia Bauru, no sítio paleontológico de Peirópolis (cidade de Uberaba, estado de Minas Gerais), no Sudeste do Brasil. Neste estudo, seções transversais dos dentes e enrugamentos nas faces das coroas foram utilizadas para agrupar os dentes em nove classes morfológicas. As seções transversais dos dentes foram desenhadas utilizando-se um fio de cobre para contornar as porções mais proximais de suas respectivas coroas. Outras características foram analizadas, usando-se um microscópio. Dentro das dez classes morfológicas, os morfotipos um e dois podem ser atribuídos ao Abelisauridae, enquanto que os morfotipos três a sete pertencem a Carcharodontosauridae. Os dentes de Abelisauridae são os mais abudantes no registro fossilífero no Sítio de Peirópolis, em Minas Gerais, no Brasil. Os morfotipos oito e nove não foram identificados pois não apresentam nenhuma característica diagnóstica de terópodes conhecidos no Gondwana ou na Laurásia. A presença de dentes Carcharodontosauridae, no Membro Serra da Galga (Neomaastrichtiano), é o registro geológico mais recente desta família.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z0375-75362012000200008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.