Paleontologia e ambientes deposicionais das formações Tatuí e Irati (Permiano) na Fazenda Ponte Nova, Ipeúna, Estado de São Paulo

Artur Chahud, Mírian Liza Alves Forancelli Pacheco, Felipe van Enck Meira, Guilherme Raffaeli Romero, Setembrino Petri

Resumo


A Bacia do Paraná, localizada no centro-leste da América do Sul, apresenta espessa sucessão de depósitos neopaleozoicos. Três formações permianas estão presentes no Estado de São Paulo, Brasil: Tatuí (mais antiga) e Irati. Dois membros compõem a Formação Irati - o Taquaral (o mais antigo) e Assistência. Este artigo discute a fácies superior da Formação Tatuí e o Membro Taquaral, seu conteúdo fossilífero, principalmente na Fazenda Ponte Nova. Esta localidade exibe afloramentos bem preservados de ambas as unidades, com dados informativos sobre as relações de fácies e seus fósseis. Crustáceos e vertebrados são apresentados em ambos os leitos de ambas as unidades, Tatuí e Taquaral. Diferentes fácies foram reconhecidas na Fazenda Ponte Nova, com base em litossomas, fósseis e suas relações. Neste contexto, a complexa arquitetura de seis fácies evidenciadas nesta localidade permitiu a formulação de uma hipótese para a geração paleoambiental da Formação Tatuí. O arenito fino de estratificação cruzada com estratos plano-paralelos subordinados (fácies 1) poderia ter sido depositado em ambiente costeiro de baixo relevo. O subambiente depoiscional da fácies 2 foi de aguas de baixa corrente passando para a fácies 3, um sistema de alta energia. A fácies 4 é o resultado do avanço da linha de costa. A fácies 5, basal do Membro Taquaral, poderia ser o resultado de alta energia gerada por ondas, tornando-se muito mais calma acima gerando os depósitos da fácies 6.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.