Sills máficos da Suíte Intrusiva Huanchaca - SW do Cráton Amazônico: registro de magmatismo fissural relacionado à ruptura do Supercontinente Rodínia

Gabrielle Aparecida de Lima, Maria Zélia Aguiar de Sousa, Amarildo Salina Ruiz, Manoel Souza D'Agrella Filho

Resumo


A Serra Ricardo Franco é constituída pelos estratos sub-horizontais do Grupo Aguapeí (Formações Fortuna, Vale da Promissão e Morro Cristalina, da base para o topo), pelos sills máficos da Suíte Intrusiva Huanchaca e pelos cherts e silexitos da Unidade Tramposo. Este trabalho objetiva apresentar os dados geológicos, petrográficos, geoquímicos e geocronológicos dos sills máficos pertencentes à Suíte Intrusiva Huanchaca, na porção norte da Serra Ricardo Franco, inseridos no Terreno Paraguá, SW do Cráton Amazônico, e discutir o provável significado tectônico deste evento ígneo. O mapeamento geológico permitiu a identificação de dois sills, alojados nos argilitos da Formação Vale da Promissão. Petrograficamente, as rochas dos sills são maciças, de granulação fina a média e cor cinza-esverdeado a preta. Apresentam texturas equi a inequigranulares e composição gabroica. Dados geoquímicos evidenciam natureza subalcalina do tipo toleítica para o magmatismo gerador destes sills em ambiente geotectônico correspondente à intraplaca continental e os valores do índice de magnésio (mg#), variando entre 0,25 e 0,38, indicam magma basáltico evoluído. Os enxames de diques máficos das Suítes Intrusivas Huanchaca, Rancho de Prata e Rio Perdido, bem com os sills máficos Huanchaca e Salto do Céu, formaram-se entre 1040 a 850 Ma, e são constituídos por diabásios e gabros com afinidade toleítica. Este episódio magmático máfico constitui uma LIP (Large Igneous Province), gerada pela extensão crustal com vetor deslocamento NNW, que precedeu a dispersão do Supercontinente Rodínia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.