Perfil longitudinal e a aplicação do índice de gradiente (RDE) no rio dos Patos, bacia hidrográfica do rio Ivaí, PR

Rafaela Harumi Fujita, Priscila Panzarini Gon, Jose Cândido Stevaux, Manoel Luiz dos Santos, Mario Lincoln Etchebehere

Resumo


Este artigo apresenta uma análise do perfil longitudinal e da aplicação do índice de gradiente (RDE) no rio dos Patos (bacia hidrográfica do rio Ivaí, PR), com o objetivo de detectar e quantificar zonas anômalas ao longo de seu curso principal que possam identificar atividade neotectônica e/ou imposição litológica. O rio dos Patos tem 127 km de extensão e amplitude de relevo de 660 m. Em sua maior parte, o canal dos Patos encontra-se desajustado e a ocorrência de um knickpoint, permite sua divisão em dois trechos. A aplicação do índice de gradiente (RDE) e a elaboração do perfil longitudinal possibilitaram a detecção de pontos com gradientes anômalos distribuídos ao longo de sua drenagem. Dos 22 trechos medidos, 8 apresentaram índices de RDE acima de 2. Estes trechos estão distribuídos no alto e baixo curso do rio. No alto curso, observa-se a ocorrência da Formação Serra Geral e os menores valores de RDE, já no baixo curso, onde há predominância da Formação Teresina, encontram-se os maiores valores detectados. As anomalias de 2ª ordem estão associadas a mudanças litológicas, lineamentos do relevo e encontro de tributários significativos, como é o caso do rio São João. Já as anomalias de 1ª ordem estão vinculadas às diferenças na resistência litológica, associadas a um controle estrutural, o que propicia condições adequadas para formação de cachoeiras.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.