Reoignimbritos e ignimbritos de alto grau do vulcanismo Acampamento Velho, RS: origem e temperatura de formação

Carlos Augusto Sommer, Evandro Fernandes de Lima, Ronaldo Pierosan, Adriane Machado

Resumo


A Formação Acampamento Velho é constituída por depósitos vulcânicos neoproterozoicos dominantemente ácidos, emplaçados em condições subaéreas sobre o Escudo Sul-Rio-Grandense. Registros deste vulcanismo são encontrados nos platôs da Ramada e Taquarembó localizados no sudoeste do Estado do Rio Grande do Sul. Este magmatismo varia de metaluminoso a peralcalino e apresenta afinidade alcalina sódica. Nos depósitos de fluxo piroclásticos dominam fragmentos juvenis, como púmices, shards e fragmentos vítreos maciços. Estes apresentam um típico elevado grau de soldagem com ignimbritos, com alto grau nas porções de base e intermediárias, e reoignimbritos no topo. Os cálculos de temperaturas pré-eruptivas obtidas na saturação em zircão mostram valores entre 870-978ºC para o Platô do Taquarembó e de 850-946ºC para o Platô da Ramada. Os valores de viscosidade calculados variam de 4,77 x 10(7) a 1,39 x 10(8) Pa s para os reoignimbritos, e 1,72 x10(11) a 6,55 x 10(11) Pa s para os ignimbritos. Os conteúdos de Zr crescem em direção ao topo da sequência piroclástica indicando aumento da peralcalinidade, que determinou a redução da viscosidade dos clastos nas porções superiores dos fluxos. Um modelo agradacional progressivo permite explicar as variações verticais no tamanho e tipos de clastos, e na geoquímica do depósito. Este modelo assume a aglutinação de partículas juvenis quentes durante o deslocamento do fluxo, o que espessa progressivamente o depósito. Portanto, a elevada soldagem e o reomorfismo são sin-deposicionais. Os fluxos piroclásticos de alta temperatura dos platôs da Ramada e Taquarembó foram gerados a partir de baixas colunas de erupção e podem ser interpretados como depósitos ignimbríticos extracaldeira.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.