Caracterização sísmica e gravimétrica da litosfera sob a linha de refração sísmica profunda de Porangatu, Província Tocantins, Brasil Central

Dhébora Batista Rosa Ventura, José Eduardo Pereira Soares, Reinhardt Adolfo Fuck, Lucas da Costa Coutrim Caridade

Resumo


Resumo Resultado recente de função do receptor na região de Novo Planalto reacendeu a discussão sobre a estrutura da litosfera no limite da Província Tocantins com a Placa Amazônica. Com o intuito de melhor caracterizar a transição entre estes domínios geológicos e discutir a natureza da crosta inferior sob a linha de Porangatu, este trabalho inferiu a espessura da crosta sob o tiro 2 da linha de refração, utilizando a técnica função do receptor; refinou o modelo da crosta na região; determinou a distribuição de densidades por meio de modelagem gravimétrica; e integrou os resultados. Análise conjunta de dados sísmicos e gravimétricos mostrou a existência de domínio crustal diferenciado a oeste da Serra Azul, evidenciado pelo espessamento abrupto da crosta e pelo aumento de densidade da crosta inferior. Valores de Vp e densidade mostram ainda que a crosta inferior sob a linha de Porangatu apresenta composição máfica. De forma geral, os resultados geofísicos mostram que o limite entre a Província Tocantins e a Placa Amazônica, ao longo da linha de refração sísmica profunda de Porangatu, está localizado na Serra Azul, e que este limite é caracterizado por identação de crostas e duplicação da crosta inferior. A diferença entre o manto litosférico Neoproterozóico e os mantos litosféricos mais antigos relacionados às placas Amazônica a NW e São Franciscana a SE é bem definida.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.