Paleocanais no megaleque do rio Taquari: mapeamento e significado geomorfológico

Hiran Zani, Mario Luis Assine

Resumo


Resumo Este trabalho tem como objetivo apresentar o primeiro mapeamento sistemático da rede de paleocanais existente no megaleque do Taquari. Foram utilizados dados de sensoriamento coletados pelo sensor ASTER, que produz imagens com pixel de 15 x 15 m. Foram necessárias um total de 34 cenas, adquiridas entre os anos de 2001 a 2006. Estes dados foram processados através da técnica de realce por decorrelação, visando melhor identificação visual dos paleocanais. A etapa de mapeamento se iniciou com a sobreposição de uma quadrícula compatível com a articulação 1:50.000 do IBGE, a fim de sistematizar a extração das feições de interesse e diminuir a subjetividade inerente ao método de análise visual. Foram cartografados um total de 33.205 km de paleocanais. A densidade destas feições se mostrou relacionada com as idades relativas dos compartimentos geomorfológicos. As feições mapeadas preservam eventos de avulsão que ocorreram no megaleque, sugerindo que os de menor magnitude são mais frequentes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.