Spectroradiometry reflectance of carbonate rocks in the infrared shortwave

Sandra Aparecida Pedrosa, Paulo Roberto Meneses, Adriana Chatack Carmelo

Resumo


No presente trabalho teve-se como objetivo estudar o comportamento espectral de rochas carbonáticas da Formação Sete Lagoas do Grupo Bambuí, da região da Serra do Ramalho, no estado da Bahia. Foram realizadas em laboratório medidas de reflectância de dezesseis amostras de calcários e quatro de dolomitos no infravermelho de ondas curtas (1300-2000 nm), utilizando-se o espectrorradiômetro PIMA. A análise dos espectros foi acompanhada por observações detalhadas de campo, descrições petrográficas de lâminas, análise química dos compostos maiores e de teores de matéria orgânica, para o seguinte grupo de rochas carbonáticas: calcilutitos, calcarenitos, calcários oolíticos, calcários argilosos e dolomitos. Com base na análise espectral observou-se que as posições da principal feição de absorção do íon CO3-2 nos calcilutitos, calcarenitos e calcários argilosos são muito próximas e tem seu pico centrado em média em 2336 nm, enquanto nos calcários oolíticos está centrada em 2332 nm. A principal diferença espectral dos calcários é o aumento da profundidade das feições de absorção com o aumento da granulometria ou a presença de argilominerais, e a diminuição da absorção diante da presença de matéria orgânica. Os dolomitos apresentam espectros semelhantes aos dos calcários, com a diferença que a feição principal de absorção está centrada em 2321nm. Feições secundárias de absorção estão centradas próximas a 2140 nm, 1930 nm, e 1430 nm. A presença de matéria orgânica, mesmo em quantidade inferior a 0,1% causa redução na profundidade das feições de absorção, ou mesmo seu mascaramento, para todos os litotipos estudados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.