Estudos isotópicos das rochas granitóides neoproterozóicas da Faixa de Dobramento Paraguai

Antonio Misson Godoy, Francisco Egidio Cavalcante Pinho, Jefferson Cassu Manzano, Larissa Marques Barbosa de Araújo, Jesué Antonio da Silva, Marcos Figueiredo

Resumo


A Província Granitóide Neoproterozóica do sudeste matogrossense está relacionada à evolução da Faixa de Dobramento Paraguai no limite sudeste do Cráton Amazônico e é constituída por sete corpos ígneos distintos em dois eventos magmáticos intrusivos em rochas epimetamórficas do Grupo Cuiabá. O evento magmático do sul aflora no Estado de Mato Grosso do Sul na forma de intrusões fissurais, alongadas e alinhadas na direção NNE-SSW. As idades modelo T DM obtidas: Taboco (1,97 Ga), Rio Negro (1,59 Ga) e Coxim (1,74 Ga) com valores de εNd(0,54Ga) fortemente negativos (-7,0 a -5,9). As idades de cristalizações U-Pb obtidas: Taboco (540 ± 4.7 Ma), Rio Negro (547 ± 4.9 Ma), Coxim (540 ± 3.6 Ma) e Sonora (548 ± 5.9 Ma). O evento magmático norte aflora no Estado do Mato Grosso e é formado por intrusões rapakivíticas de dimensões batolíticas dispostas segundo direção ENE-WSW. As idades modelo T DM obtidas: São Vicente (1,165 Ga), Lajinha (1,508 Ga) e Araguaiana (1,375 Ga) com valores de εNd(0,50Ga) fortemente negativos (-2,86 a -5,87). As idades de cristalizações U-Pb obtidas: São Vicente (504 ± 8.9 Ma), Lajinha (505,4 ± 4.1 Ma) e Araguaiana (509,4 ± 2.2 Ma). Os granitóides da parte sul, mais antigos, são gerados em ambientes sin- colisional de arco continental, enquanto os do norte, mais jovens, são gerados em ambientes tardi a pós-colisional ou de descompressão durante a finalização do processo colisional. Ambos os eventos são constituídos por granitóides gerados partir de magmas de fontes distintas e independentes a partir do retrabalhamento de fragmentos crustais distintos, dominantemente ao sul, paleoproterozóicos e ao norte, mesoproterozóicos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.