Compartimentação geomorfológica do leque fluvial do rio Negro, borda sudeste da Bacia do Pantanal (MS)

Bruna Medeiros Cordeiro, Edna Maria Facincani, Antonio Conceição Paranhos Filho, Vitor Matheus Bacani, Mario Luis Assine

Resumo


O leque do Negro é um sistema deposicional aluvial que vem sendo construído pelo rio Negro na borda sudeste do Pantanal desde o Pleistoceno. Sua superfície apresenta feições geomorfológicas e drenagem atuais e reliquiares. O rio Negro flui de leste para oeste e integra a Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai (BAP), sendo afluente da margem esquerda do rio Paraguai. A bacia de drenagem do rio Negro é um grande anfiteatro de erosão localizado no planalto de Maracaju-Campo Grande, esculpido em rochas paleozóicas e mesozóicas da Bacia do Paraná e em rochas neoproterozóicas do Grupo Cuiabá. O contato entre o planalto e a planície é marcado por escarpa retilínea de direção NNE. O rio Negro apresenta, no planalto, comportamento obsequente em relação ao mergulho das camadas da Bacia do Paraná. A evolução geomorfológica do leque do Negro teve início com a construção de um lobo antigo na saída do planalto, de provável idade pleistocênica, seguido de avulsão para SE e formação do lobo pré-atual, que termina na vazante Santa Clara. O sítio deposicional holocênico é representado pelo lobo atual, formado sobre depósitos distais do megaleque do Taquari, e por uma planície de meandros embutida em vale inciso na porção superior do leque. Terrenos com inúmeras lagoas, semelhantes às da Nhecolândia, ocorrem entre os lobos, constituindo formas relictas preservadas dentro da área do leque do rio Negro.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.