Estruturas primárias e tectônicas do Anortosito Capivarita, Pântano Grande (RS): significado e implicações na sua evolução petrológica

Ruy Paulo Philipp, Milton Luiz Liquintinie Formoso, Ivo Dossin, Farid Chemale Jr, Roberto Sacks de Campos

Resumo


O Anortosito Capivarita é uma unidade de idade Mesoproterozóica, constituída por anortositos, com presença subordinada de anortositos com granada, metagabros e anfibolitos. Apresenta relações intrusivas com os paragnaisses de alto grau do Complexo Várzea do Capivarita e encontra-se como pendentes de teto nos Granitos Encruzilhada do Sul e Pitangueiras, de idade Neoproterozóica. Estudos estruturais, petrográficos e mineralógicos caracterizaram os anortositos e os gabros como representantes de um magmatismo metaluminoso relacionado a série toleítica. Os protólitos são dominados por anortositos, com ocorrência de corpos tabulares de composição gabróica e níveis de granada anortositos e rochas ricas em óxidos de Fe-Ti, constituindo uma associação de anortosito do tipo maciço. A estrutura bandada é definida por variação composicional e de tamanho de grão, indicando que os anortositos apresentam uma evolução relacionada a processos de fracionamento mineral. As feições estruturais, petrográficas e os padrões composicionais são muito similares aos descritos em anortositos de idade Paleoproterozóica. A presença dominante de anortositos, com anfibolitos associados sugere que a porção principal desta associação pode representar acumulações de plagioclásio formadas pelo fluxo magmático e/ou por flotação, associada ao assentamento gravitacional. As feições estruturais primárias e composicionais dos anortositos sugerem que este magmatismo ocorreu sob condições anorogênicas, em um ambiente estável, provavelmente cratônico. Após a sua cristalização o anortosito foi afetado por um evento de metamorfismo regional orogênico sob condições da fácies anfibolito superior a Granulito.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.