Suíte Rio do Sangue: registro de uma associação AMCG no sudoeste do Cráton Amazônico, noroeste do estado de Mato Grosso

Jayme Alfredo Dexheimer Leite, Maria Zélia Aguiar de Sousa, Maria Elisa Fróes Batata, Ana Cláudia Dantas da Costa

Resumo


A Suíte Rio do Sangue (SRS) localiza-se na porção sudoeste do Cráton Amazônico, nos domínios da Província Rio Negro-Juruena ou Rondônia-Juruena, noroeste do estado de Mato Grosso. Ocorre sob a forma de um cinturão alongado de direção E-W, com aproximadamente 400 km de comprimento, que se estende desde as proximidades de Tabaporã até o oeste do município de Juína na divisa entre Mato Grosso e Rondônia. Esta suíte compõe-se pelas unidades Granito Fontanillas, Anortosito Castanheira, Charnockito-Mangerito São Roque, Granito Juara e Gabro Juína; o Granito Fontanillas é o termo rapakivítico da suíte. Os dados geocronológicos apontam para um intervalo de tempo de 7 Ma para sua formação, entre 1.54 e 1.47 Ga, o que é aproximadamente 230 Ma mais novo que o último evento colisional até então reconhecido na região (1.8-1.75 Ga). A assinatura isotópica de Nd mostra valores de εNd entre -2 e -6 com T Dm entre 2.35 Ga e 2.5 Ga. Baseado nas principais características da SRS é aqui sugerida sua correlação com as associações do tipo AMCG (anortositos, mangeritos, charnockitos e granitos rapakivi) mundialmente reconhecidas durante o Mesoproterozóico e tidas como oriundas de processos de fragmentação do Super-continente Colúmbia. Entre 1.47 e 1.4 Ga a SRS foi submetida a um importante evento metamórfico deformacional em condições de fácies anfibolito, responsável pela formação de corredores E-W de milonitos e augen-gnaisses. Finalmente, uma correlação com o magmatismo anorogênico do leste da Rondônia é proposta, dada as similaridades composicionais e de idades entre a SRS e a Suíte Serra da Providência.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.