Petrografia, química mineral e litoquímica de diques máficos cambrianos do extremo oriental do estado da Paraíba

Vidyã Vieira Almeida, Maria Helena Bezerra Maia Hollanda

Resumo


O enxame de diques máficos da região de Itabaiana (PB) está geologicamente inserido no domínio da Zona Transversal, na porção oriental da Província Borborema. Compreende dois conjuntos individualizados de diques deci- a centimétricos em largura, que ocorrem afastados cerca de 40 km. Suas características geoquímicas permitiram classificá-los como basaltos a andesitos, incluindo dominantemente basaltos andesíticos sub-alcalinos, com afinidade toleítica. De forma geral, os diques apresentam associação mineral dominada por plagioclásio labradorita, titano-augita (por vezes com lamelas de pigeonita) e olivina (Fo76-84), os quais compõem a matriz, também ocorrendo como microfenocristais. Feições de alteração tardi-magmática são comuns nos diques, as quais são representadas por neoformação de fases minerais secundárias como iddingsita, bowlingita e carbonato. O padrão geoquímico para elementos menores (traços e terras-raras) mostra enriquecimento moderado em Rb, Ba, Th, K e terras-raras leves, e em menor proporção em Zr, Hf, Ti, em relação ao condrito. Pequenas diferenças em termos de fracionamento (La/Yb)N nos espectros ETR sugerem variações nas taxas de fusão parcial da fonte que pode tentativamente ser admitida como o manto litosférico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.