Avaliação da vulnerabilidade ambiental como instrumento de gestão costeira nos municípios de Belmonte e Canavieiras, Bahia

Dária Maria Cardoso Nascimento, José Maria Landim Dominguez

Resumo


O artigo trata do mapeamento da vulnerabilidade ambiental dos municípios de Belmonte e Canavieiras, situados no litoral Sul do estado da Bahia. Nas duas últimas décadas atividades econômicas como silvicultura, carcinicultura e turismo expandiram-se na região ocupando área de terrenos com graus variados de vulnerabilidade, causando degradação nos ecossistemas. Nesta pesquisa foram originados índices de vulnerabilidade ambiental a partir da integração das características geológicas (tempo geológico e fragilidade), de solos (maturidade pedogenética), declividade (variação de declividade), uso da terra e vegetação (proteção da paisagem e biodiversidade da biota). Para cada diferente feição de mapeamento foram atribuídos pesos de 1 (menos vulnerável) a 5 (mais vulnerável). Estes mapas foram manipulados algebraicamente em um ambiente Sistema de Informação Geográfica (SIG) na escala de 1:100.000. O produto final em formato “raster” foi reclassificado em 5 classes de vulnerabilidade ambiental, assim identificadas: baixa, baixa a média, média, alta e muito alta vulnerabilidade. A classe muito alta inclui os manguezais, às várzeas flúviolagunares e a linha de costa. Nas classes que apresentaram a vulnerabilidade ambiental baixa estão incluídos os tabuleiros costeiros (Grupo Barreiras), recobertos pela floresta ombrófila (mata atlântica). O mapa de vulnerabilidade ambiental produzido permite a compreensão dos diferentes graus de fragilidade de cada unidade mapeada, podendo ser utilizado como instrumento de gestão costeira para o desenvolvimento local e regional

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.