Manaus - Presidente Figueiredo (AM), borda norte da Bacia do Amazonas: um guia para excursão de campo

Valmir da Silva Souza, Afonso César Rodrigues Nogueira

Resumo


A rodovia BR-174 entre os municípios de Manaus e Presidente Figueiredo, Estado do Amazonas, é uma das rotas mais didáticas para a observação da geologia da Amazônia Ocidental. Esta rodovia é uma “janela” que corta a densa floresta amazônica expondo rochas que abrangem idades desde o Proterozóico ao Cenozóico, possibilitando compreender a história geológica da borda norte da Bacia do Amazonas e sua relação com o embasamento cristalino do sul do Escudo das Guianas. Foram reconhecidos dois sucessivos eventos magmáticos ocorridos entre 1,90 e 1,81 Ga: a) suíte cálcio-alcalina Água Branca, do tipo I e sin-colisional (1.90-1.89 Ga); e b) magmatismo do tipo A, pós-colisional a anorogênico, representado pelo vulcano-plutonismo alcalino Iricomé-Mapuera (1.88-1.87 Ga) e granitos Moderna-Madeira (1.82-1.81 Ga). O final do Proterozóico foi marcado por tectônica distensiva com a formação da bacia Prosperança preenchida por depósitos flúvio-costeiros. No EoPaleozóico, eventos transtensivos geraram as fases rifte/sinéclise da bacia intracratônia do Amazonas, permitindo uma espessa sedimentação costeira a marinha parcialmente influenciada por glaciações. No final do Mesozóico um sistema fluvial-lacustre foi instalado na região e durante o Cenozóico a região foi afetada pelos ciclos de lateritização/bauxitização. Posteriormente, a tectônica transtensiva quaternária gerou soerguimento e abatimento de blocos estruturais na região com a formação de depósitos colúvio-aluvionares

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.