Evidence of N-S intraplate stress in the neogene of the Atuba Complex, Curitiba region

Lilian Chavez-Kus, Eduardo Salamuni

Resumo


No arcabouço estrutural do Complexo Atuba a deformação atual ou pré-atual ocorre em regime rúptil decorrente de falhas recentes ou reativadas segundo um sistema transcorrente dominante. Além das falhas na escala regional que coincidem com reativações dos já existentes alinhamentos NE-SW e NW-SE, foram geradas novas estruturas a partir do Neógeno com característica distensiva e cisalhante concordantes com o vetor de tensão principal (σ1), horizontal e orientado para N-S. Associado às estruturas N-S ocorre um sistema conjugado transcorrente proeminente nas direções N20-35E e N20-35W. As falhas destas famílias são responsáveis pelo deslocamento de diques de diabásio e lamprófiros. O mesmo sistema transcorrente provoca estrias de atrito nos gnaisses, assim como estruturas sub-verticais conjugadas que se estendem na cobertura sedimentar da Bacia de Curitiba. Além do sistema transcorrente ocorrem grandes falhas inversas de baixo mergulho (20º a 30º) nas direções próximas a N20W/35NE e N20E/20NW cujo cisalhamento rúptil gera brecha cataclástica nos gnaisses e deslocamentos em diques. Estas zonas de cisalhamento rúptil estão seccionadas pelos planos associados ao sistema transcorrente antes mencionado. Tal estruturação e sua cinemática permitem caracterizar melhor o evento D2' de Salamuni (1998), cujo campo de tensão atual ou pré-atual apresenta a tensão principal σ1 na direção N-S. Em termos cronológicos o posicionamento proposto para o campo tensão, caracteriza ciclos ou episódios transtensivos decorrentes de deformações secundárias do regime compressional D2 quando σ1 anteriormente posicionado aproximadamente na direção E-W passa a orientar-se, pelo menos episodicamente, a partir do fim do Pleistoceno na direção NNW-SSE ou N-S

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.