IDADES DO MAGMATISMO GRANÍTICO DA REGIÃO DE CARACULO-BIBALA (SW DE ANGOLA) E SUAS IMPLICAÇÕES NA CORRELAÇÃO GEOLÓGICA COM O CINTURÃO RIBEIRA NO SUDESTE DO BRASIL

HEITOR DE CARVALHO, COLOMBO C. G. TASSINARI

Resumo


Foram realizadas análises Rb-Sr, em rocha total, de rochas graníticas que ocorrem no sudoeste de Angola, visando caracterizar a idade e a evolução deste magmatismo plutônico. Os granitóides apresentam grande variação litológica e composicional, abrangendo desde termos graníticos até granodioríticos. Três intervalos de idades foram definidos para as manifestações magmáticas: l.950 - 1.900 Ma, l.750 - 1.700 Ma e l.550 - 1.500 Ma. O intervalo mais antigo obtido para o granitóide Chicalengue não foi muito bem definido, mas o segundo inclui os granitóides da Serra dos Gandarengos e da Chonga e o Complexo Granítico Luchipa-Luso. O intervalo mais jovem compreende os corpos graníticos de Chicate e Caraculo e o Complexo Granítico do Munhino. As razões iniciais 87Sr/86Sr mostraram valores característicos para cada intervalo nomeadamente: l.950 - 1.900 Ma = 0,7015; l.750 - 1.700 Ma = 0,7060 a 0,7075; 1.550 - 1.500 Ma = 0,7048 - 0,7057, o que sugere diferentes fontes magmáticas para cada período de magmatismo granítico. As idades obtidas no sudoeste de Angola não são diretamente correlacionáveis com aquelas obtidas para o Complexo Costeiro na área contígua no Brasil, mas muitas delas correlacionam-se com as idades dos protólitos metamórficos que, no Brasil, foram retrabalhados no Proterozóico Superior. Em adição, são apresentadas duas idades K-Ar, obtidas em rochas básicas da área, sendo obtidos os valores de 700 e 600 Ma, interpretadas como idades mínimas e relacionadas ao aquecimento provocado pela orogenia Damara.

Palavras-chave


Geocronologia; Angola; Correlação geológica; Faixa Ribeira; Granitóides.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.