CARACTERIZAÇÃO PETROGRÁFICA E METAMÓRFICA DOS GRANULITOS DO ARQUEANO/PROTEROZÓICO INFERIOR DA REGIÃO DE ITABUNA - BAHIA

JOÃO B. A. ARCANJO, JOHILDO S. F. BARBOSA, JOSÉ E. OLIVEIRA

Resumo


As rochas arqueanas/proterozóicas inferiores de alto grau da região de Itabuna, no sul da Bahia, foram separadas em cinco grupos. O primeiro foi denominado de Complexo Ilhéus, sendo formado de intercalações de granulitos máficos com hornblenda com granulitos félsicos plagioclásicos. O segundo, de Complexo São José, composto de granulitos intermediários abásicos, com intercalações de granulitos básicos com granada. O terceiro, de Complexo Ibicaraí-Buerarema, constituído essencialmente de granulitos intermediários; e o quarto grupo, no qual estão encerrados os granitóides Água Sumida (metamonzonitos), Rio Paraíso (metassienitos) e São Geraldo, este último de composição granítica. Todas as rochas dos quatro primeiros grupos são da fácies granulito. O quinto e último grupo foi denominado de Complexo Rio Japu, sendo constituído notadamente de biotita e hornblenda gnaisses reequilibrados na fácies anfibolito. Além das fácies granulito e anfibolito, progressivas, os estudos paragenéticos e texturais das reações metamórficas e de química mineral permitiram identificar as fácies granulito, anfibolito e xisto-verde regressivas na região. Os valores de temperatura e pressão para o pico do metamorfismo foram estimados em 6 kbar e 850°C. O modelo geotectônico da área coaduna-se com aquele interpretado mais ao norte. Naquela região é considerada a existência de zona de subducção, mais próxima à zona costeira atlântica e, um arco, ou conjunto de arcos de ilhas, mais para o interior.


Palavras-chave


Granulitos; Petrologia; Metamorfismo; Termobarometria.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.