O Grupo Pinhal na região nordeste do estado de São Paulo e áreas vizinhas do estado de Minas Gerais

E Wernick, F Penalva

Resumo


O Grupo Pinhal é uma importante unidade litoestratigráfica, aflorante na região NE do Estado de São Paulo e SSW do Estado de Minas Gerais, no Brasil meridional. Os Complexos de Pinhal e Socorro são as principais áreas granítico-migmatíticas desta unidade, incluindo "granitos formadores de migmatitos", "granitos normais", migmatitos e vários tipos de metamorfitos regionais, de médio a alto grau de metamorfismo. O conjunto de rochas graníticas inclui diversos tipos equigranulares e porfiroides, bem como diques aplíticos, porfiríticos e pegmatíticos. A geocronologia indicou idades que relacionam essas rochas com o Ciclo Brasiliano (Ciclo Baikaliano, do Pré-Cambriano Superior); as rochas encaixantes pertencem ao Grupo Amparo (do Pré-Cambriano Médio), as quais sofreram uma intensa remobilização durante o Ciclo Brasiliano. Os "granitos formadores de migmatitos" sâo circundados por uma auréola de migmatitos, composta por três zonas: a externa é formada por migmatito acamado; a intermediária, por migmatitos agmatitico e "schollen", e a interna por migmatito do tipo "schlieren", nebulitico e homofânico. O núcleo granítico central é equigranular ou porfiroide. A auréola migmatítica é, com freqüência, perturbada por falhamentos, pela intrusão de "granitos normais" ou pela interferência de auréolas adjacentes; essas perturbações levam ao aparecimento de migmatitos complexos, polifásicos. Intensa atividade metassomática afetou as rochas do Grupo Pinhal, em duas dases distintas. A primeira, de natureza potássica, é caracterizada pelo abundante desenvolvimento de megacristais de microlina, e a segunda, de natureza sódica, pela formação de albita pura. Em cada uma dessas fases observou-se pulsações metassomáticas distintas, relacionadas com as diversas intrusões e eventos tectónicos que afetaram os complexos que constituem megadiápiros de natureza polidiapírica. Os grandes corpos graníticos plutônicos ascenderam, da base da crosta siálica, através de "canais térmicos" relacionados com zonas de fraqueza tectônica. Durante essa lenta ascensão, esses corpos sofreram profundas modificações (remobilizações, recristalização sub-sólida, metassomatismo, assimilação e cristalização fracionada). Do ponto de vista regional o Grupo Pinhal é correlacionável ao Grupo Serrados Órgãos, no Estado do Rio de Janeiro. Os recursos econômicos na região investigada constituem-se essencialmente de material para construção civil e minerais de pegmatito.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.